X

Procedimentos

Testes Respiratórios

Teste respiratório para Supercrescimento bacteriano

Este método está fundamentado no fato que somente as bactérias podem produzir no corpo humano hidrogênio (H2) e metano (CH4), portanto a concentração destes gases no ar do pulmão correlaciona- se com o grau de fermentação bacteriana intestinal.

O teste de hidrogênio (H2) no ar expirado é o método de escolha para o diagnóstico de má absorção intestinal devido ao supercrescimento bacteriano do intestino delgado.

O exame é realizado através de coleta de gases do pulmão através de sopro após a administração oral de lactulose e análise da produção de Hidrogênio (H2) expiratório.

Na presença de supercrescimento bacteriano, a lactulose é fermentada precocemente, na porção inicial do intestino delgado, levando a um aumento do Hidrogênio exalado já nas primeiras coletas dos gases (pico precoce de H2 exalado).

Interpretação dos resultados:

Em condições normais a lactulose não é absorvida no intestino delgado e chega intacta ao cólon onde sofre fermentação bacteriana.

O teste é considerado positivo quando há a elevação precoce (entre 20 e 60 minutos) da curva de concentração de H2, ou seja, ocorreu fermentação bacteriana nas porções proximais do intestino delgado.

Descrição do exame:

1) Determina-se a concentração basal de H2 no ar do pulmão solicitando que o paciente expire continuamente no aparelho.

2) Concentrações basais elevadas são sugestiva da ingestão de alimentos fermentativos na véspera. Por isto siga adequadamente as orientações do preparo para o exame.

3) Ingestão da lactulose pelo paciente.

4) Após a isto o ar alveolar é coletado através de sopro no aparelho e analisado a cada 20 minutos durante 2 horas.

Duração total do exame: aproximadamente 2 horas.

Preparo para o exame:

- Jejum (inclusive água) de 8 horas.

- Não fumar no dia do exame.

- Dieta padrão antifermentativa na véspera do exame.

Não ingerir os seguintes alimentos que são fermentativos:

- vegetais como feijão, couve-flor, ervilha, couve, brócolis, repolho e cebola;

- farelo e grãos integrais, especialmente se você não está acostumado a comer grãos ou farelo;

- frutas como peras, maçãs e pêssegos;

- refrigerantes e cerveja;

- frutas secas;

- adoçantes, tais como sorbitol, em alimentos sem açúcar e doces (chicletes, balas,etc).

Enciclopédia do Aparelho Digestivo