X

Enciclopédia do aparelho digestivo

P > Polipectomia
Especialidade: Endoscopia Digestiva

O que são pólipos?

Pólipos são crescimentos na parede interna do tubo digestivo em órgãos como o esôfago, estômago, duodeno e cólon. O cólon e o reto são partes do intestino grosso.

Por que devem ser removidos?

Se não forem removidos cedo, alguns pólipos podem se tornar cancerosos. Se pólipos cancerosos não são tratados, eles são uma ameaça à vida. Porém mesmo sendo canceroso, se for ressecado precocemente e se este não estiver muito infiltrado, a simples retirada do pólipo pode resolver o problema.

Por que apenas a biópsia de um pólipo não é suficiente?

Geralmente apenas uma região do pólipo é que se apresenta de forma cancerosa. Se for realizada uma simples biópsia do pólipo, a região cancerosa pode não ser atingida e o diagnóstico de câncer não ser realizado. Para se ter certeza do diagnóstico, o pólipo inteiro deve ser removido através do procedimento chamado de polipectomia.

O que é a polipectomia?

A polipectomia é a remoção completa de um pólipo permitindo assim o diagnóstico exato e muitas vezes a cura do próprio problema. Existem várias técnicas para a realização do procedimento que dependem do tamanho e do tipo de pólipo a ser ressecado.

Polipectomia com pinça

Pequenos pólipos podem ser removidos com segurança usando-se apenas uma pinça.

Polipectomia com alça diatérmica

Pólipos maiores necessitam ser removidos com alça e corrente de cauterização. Este procedimento permite cortar a base do pólipo e ao mesmo tempo coagular o local para evitar sangramentos.

Porém alguns pólipos possuem a base (pedículo) largo onde passam vasos calibrosos e por isto tem risco aumentado de sangramento na retirada mesmo usando a corrente de coagulação.

Nestes casos algumas medidas podem ser realizadas para diminuir o risco de sangramento:

Injeção de adrenalina na base do pólipo

Colocação de um laço na base do pólipo para estrangular o pedículo

Alguns pólipos são tão grandes que não podem ser removidos inteiros. Nestes casos o pólipo é retirado em pedaços para poder garantir a sua remoção completa.

Alguns pólipos não possuem a base alongada (pedículo), estes são chamados de pólipos sésseis. A remoção destes pólipos possui risco maior de perfuração do órgão pois como são planos ficam muito próximos da parede externa do órgão.

Mucosectomia

Para diminuir este risco, injeta-se com um uma agulha uma solução abaixo do pólipo para que ele levante e fique mais longe da parede do órgão. Após isto passa-se a alça diatérmica e realiza-se o

procedimento de polipectomia.

Tatuagem endoscópica

Nos casos onde existe a necessidade de revisão posterior do local onde foi feito o procedimento, seja por endoscopia ou por cirurgia, pode-se realizar a injeção de tinta na parede do órgão ficando assim esta região marcada permanentemente. Este procedimento é indolor e não leva a nenhum tipo de lesão do órgão marcado.

Complicações

Mesmo tomando todas estas precauções, complicações como perfuração e sangramento podem ainda acontecer. Estas geralmente são tratadas por endoscopia no mesmo momento do procedimento. Porém as vezes o tratamento por endoscopia acaba não sendo efetivo e o tratamento por cirurgia é realizado.

Se eventuais complicações acontecerem, possuímos estrutura, material e equipe profissional habilitada para o tratamento por endoscopia ou cirurgia se esta for necessária.

Tratamento endoscópico da perfuração

Tratamento endoscópico do sangramento