X

Enciclopédia do aparelho digestivo

D > Dilatação do Colon
Especialidade: Endoscopia Digestiva

Estenose do intestino

Estenose do intestino é o estreitamento parcial ou total do intestino grosso (ou raramente do intestino delgado) que impede a progressão do conteúdo através do mesmo.

Estenose do intestino pode acontecer por 2 causas principais:

1- Tumores do intestino: alguns tumores do intestino podem crescer ao ponto de causar a obstrução do órgão. Nestes casos geralmente realiza-se cirurgia para se retirar a parte do intestino acometida. Nos casos muito avançados pode-se passar através da colonoscopia uma prótese autoexpansível para desobstrução. Esta prótese também pode ser colocada para melhorar o estado físico e o preparo do paciente antes de ser realizado uma cirurgia definitiva.

2- Estenose benigna: algumas inflamações do intestino podem ao cicatrizar levar a retração da parede do órgão e fechamento do mesmo. Doenças como a Retocolite Ulcerativa, a Doença de Crohn, a Colite por radioterapia, e algumas infecções do intestino podem levar a este processo. Existem também as estenoses pós operatórias que acontecem quando ocorre uma cicatrização exagerada da parede do intestino remanescente após a cirurgia.

Nos casos de estenoses benignas do intestino realiza-se a dilatação endoscópica da região com balão do tipo hidrostático.

Estenoplastia

Em algumas ocasiões, o estreitamento (estenose) é tão grande que nem os instrumentos de dilatação conseguem passar. Nestes casos e em algumas outras situações, realiza-se o procedimento de estenoplastia. Este consiste na realização de pequenos cortes na região da estenose com auxílio de um estilete que é passado pelo canal de trabalho do endoscópio. Este pequenos cortes ajudam abrir o estreitamento facilitando a passagem dos dilatadores e acelerando o processo do tratamento. Em alguns casos após a realização dos pequenos cortes algumas substâncias, como corticóides, são injetadas na região para prevenir que o estreitamento feche novamente com facilidade.

Nos casos onde não há melhora com as dilatações realiza-se o tratamento cirúrgico do problema através do procedimento chamado de colectomia parcial.

Complicações

A dilatação do cólon é geralmente realizado de forma eficaz e sem problemas. Algumas complicações que podem ocorrer são:

  • Uma pequena quantidade de sangramento quase sempre acontece quando a dilatação é realizada. Se este sangramento for excessivo pode exigir um tratamento mais agressivo.
  • Outra complicação é a perfuração (buraco na parede do órgão). Se isso acontecer, uma operação pode ser necessária para reparar o problema.
  • Raramente uma pequena perfuração pode levar a infecção, que pode ficar apenas no local ou até mesmo se espalhar para os órgãos vizinhos.

Enciclopédia do Aparelho Digestivo